Escrevo porque não digo...
O que sinto, calo.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014





TU e EU


Sonhei um sonho bem doce e forte
Tendo sempre a fé como norte
Por ouvir que o Universo conspira
A favor do amor que rima

A paz que me encobria
Bem mais que as noites frias
Dizia-me claramente
Que tudo tem sua hora
Para início de cada história

Assim, conheci o anseio
Dancei,
Fiz estripulia
Tentando correr com o tempo
Que, parecendo tão lento,
A noite inteira era dia

Seguindo com a falta tua,
Sentindo minh'alma nua,
Juntei-me a paciência
E quando as condolências estavam para chegar
Eis que a dor findou...
O amor decidiu gritar

Atravessando os muros
Tua voz chamou o meu nome
Despiu, num choro profundo
Teus medos e tua fome
De amar-me por vida inteira
E como a vez primeira
Viramos um só pronome

Nenhum comentário: