Escrevo porque não digo...
O que sinto, calo.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

31/07- 23:55h


Teus olhos ainda têm o mesmo brilho de sempre,
Teus lábios ainda sorriem o mesmo sorriso lindo de sempre,
E a minha carne treme ao se aproximar da tua.
Frente a ti, sinto minha alma fora do corpo,
Leve,
Livre.
E me desprendo de tudo...
Posso me despir,
Me virar do avesso,
E ser inteira ao te ter.

2 comentários:

Antonio de Aruanda disse...

Simplesmente lindo...

Jeze Nicory disse...

Como sempre digo, é gratificante receber um elogio seu,Tony... Obrigada!!!